Considerações sobre um rio morto–O Salitre

Por: Malan Calazans- Engenheiro Agrônomo

Este afluente do São Francisconão nasce na região do Pacuí no município de Campo Formoso, como se apregoa, mas, na Chapada Diamantina na localidade conhecida como Boca da Madeira, no município de Morro do Chapéu, (porção norte da Bahia)  e desemboca na comunidade Divina Graça (boca do Braço) em Juazeiro, à jusante da barragem de Sobradinho. Nasce com o nome inicial de Rio Tabuleiro.

São nove os municípios que compõem a bacia hidrográfica do Salitre: Morro do Chapéu, Várzea Nova, Ourolândia, Umburanas, Miguel Calmon, Jacobina, Mirangaba, Campo Formoso e Juazeiro.

Seu sistema hídrico está morto, pois a existência de 35 barragens, construídas ao bel prazer dos donos de terra, sem nenhum critério técnico hidrológico, mas com forte apadrinhamento político, num pequeno curso do rio de um pouco mais de 330 km, afetou grandemente sua vazão e decretou morte do Salitre.

Por outro lado, o uso desenfreado de suas águas na irrigação e com boa parte do seu leito impermeabilizado por resíduos oriundos da exploração de mármores, somados aos efluentes domésticos lançados em suas águas, contribuíram também, para matá-lo.

Particularmente estivemos em uma dessas barragens, quando prestávamos serviços de consultoria/instrutoria para o SEBRAE no município de Ourolândia. À época levamos ao conhecimento da sociedade esse assunto, através da Rádio Juazeiro.

Segundo informações esta barragem de Ourolândia pertence a pessoas ligadas ao ex-prefeito de Jacobina, Dr. Carlito, político de grande expressão regional. Nesse período a Secretaria de Recursos Hídricos era ocupada por um político juazeirense.

Existe uma curiosidade interessante na entrada do Salitre no município de Campo Formoso na localidade de São Tome. Ali o rio resvala no subsolo, tornando-se um afluente subterrâneo, voltando ao seu leito a céu aberto, na região de Brejão da Caatinga. O Salitre, em Campo Formoso, tem um percurso em torno de 100 km.

Eis alguns afluentes do Rio Salitre: Pacuí- rio das Lages, riacho Tanquinho e da Piaba. Um contingente populacional de 160.000 pessoas milita em torno do Salitre e grande parte desta população cansada de clamar ao vento, tal qual carpideiras, chora a morte daquele que um dia produziu fartura.

Descanse em paz, bravo Rio Salitre.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *